sábado, 9 de Fevereiro de 2008

Recursos do Subsolo




Começando com os recursos naturais,http://www.maotdr.gov.pt/ isto é, todas as riquezas proporcionadas pela Natureza ao Homem que visam satisfazer as suas necessidades, as quais estao disponiveis no subsolo, no solo e na superficie terrestre, podemos dividi-los em:
  • geológicos ou do subsolo,

  • climáticos,

  • hídricos,

  • biológicos.

Nos recursos geológicos integram-se os recursos minerais ( alumínio, ferro, magnésio, cálcio, entre outros), os quais se formam no subsolo em condiçoes termodinâmicas diversificadas, originando depósitos minerais ou jazidas.




Os recursos do subsolo subdividem-se em:



  • Minerais energéticos: produzem electricidade e calor, de modo a movimentar veículos e máquinas (petróleo, carvão, gás natural);

  • Matérias-primas: minerais ou rochas para a indústria, utilizados no fabrico dos mais variados produtos. Nestes destacam-se os minerais metálicos, os minerais não-metálicos e as rochas industriais e ornamentais.

Os recursos hídricos encontram-se tanto à superfície (rios e lagos) como nas reservas do subsolo. Importantes no abastecimento da populção assim como nas actividades económicas. Atribuindo destaque às águas da nascente e águas minerais.



Desde as materias-primas de menor valor às de maior valor, todas elas sao importantes ao desenvolvimento das sociedades através das actividades económicas (indústria, comércio, agricultura).



Nos últimos anos em Portugal, a situação menos favorável no sector da construção fez abrandar o consumo de matérias-primas dando, assim, prioridade ao das rochas , fazendo com que estas detenham metade do valor da indústria extractiva portuguesa.



Com efeito, as principais produções de recursos do subsolo em Portugal são:
  • Rochas industriais (britas, areias, argilas, margas para cimento) para construção e de argilas especiais e de caulino para a indústria cerâmica
  • Rochas ornamentais (granito e mármore) são um sector importante para a economia do País, pois a sua produção é muito procurada nos mercados externo e interno, dando origem a entrada de divisas provenientes do exterior;
  • Minerais metálicos: apesar do decrescimo que se verificou recentemente na produção de alguns minérios, e de oscilaçoes no valor de outros, tem contribuindo significativamente para o valor da industria extractiva portugues;
  • Minerais nao-metálicos: apesar de manter uma tendência de crescimento do seu valor nos ultimos anos, a sua importância na indústria extractiva é inferior em relação aos outros;
  • Água: apresenta um crescimento constante, resultante do aumento do valor da exploração das águas de nascente e das águas minerais naturais

Nota: Será ainda de salientar, o crescimento do termalismo que contribui para estimular as economias de regiões, que se irá reflectir no desenvolvimento do comércio e serviçoes = turismo.




Estrutura geológica de Portugal continental:

  1. Maciço Antigo: formou-se no Paleozóico, abrange todo o norte, e metade do Centro e do Alentejo. É formado por rochas eruptivas e metamórficas, granito, xisto e quartzito, sendo que as suas áreas são as de maior riqueza geológica.

  2. Orlas mesocenozóicas: formaram-se na era do mesozóico e correspondem à metade sul do Algarve e afaixa compreendida entre Aveiro e Lisboa. Na sua constituição temos rochas calcárias, ergilosas e areníticas, alem de outras eruptivas.

  3. Bacias sedimentares do Tejo e do Sado: datadas da era do cenozóico, preenchidas por aluviões fluviais e depósitos de praias antigas.



Portugal insular, cuja formação é recente (cenozóico), tem origem vulcânica o que levou ao aparecimento de rochas basálticas.

Sem comentários: